DestinosÁfricaDestinos
25 maio 2017

Mergulho com os tubarões brancos na África do Sul

Muito engraçado o dia que contei para minha mãe que mergulhei num mar gelado, dentro de uma gaiola para estar cara a cara com um tubarão! Aí vem aquela pergunta: “Pra que isso?” Mas pra quem gosta destas aventuras é só mais uma na lista de coisas incríveis para se fazer na vida. Neste post conto com mais detalhes como foi “interagir” com estes animais tão temidos e interessantes.

Escolhendo a agência

Sempre que faço alguma atividade que possa ser considerada “perigosa” não olho muito o preço e procuro uma agência bem avaliada nos quesitos segurança e experiência. Não que eu acreditasse que um tubarão fosse me pegar, mas por tudo: pelo barco, equipamentos e sim, pela segurança da tal gaiola.

E pensando nisso escolhemos a agência mais bem avaliada no TripAdvisor: a Great White Sharks Tours. 

Ingressos: no Site da Agência por R1750 que equivale a R$430,00. Com transfer da Cidade do Cabo seria mais R$100,00 por pessoa. Crianças e pessoas que vão ficar apenas no barco sem mergulhar pagam menos;

Duração: de 3 a 4h – o início pode ser entre 7h e 12h da manhã, conforme a reserva;

O que levar: remédio para enjoo, protetor solar e câmera fotográfica. Vá com roupa de banho por baixo para colocar a neoprene na hora do mergulho, garanta uma roupa seca e quente para a saída da água.

Lembre de reservar com antecedência!

Preparação para o passeio

Antes do barco sair foi oferecido a todos um café da manhã farto (não comi com medo do enjoo..), em seguida apresentaram um vídeo de segurança demonstrando as orientações quanto a posição do barco, coletes, roupa necessária para o mergulho, a estrutura das gaiolas e um pouco sobre os famosos tubarões.

O guia informou também que nem sempre é possível encontrar os tubarões e que o tempo de espera pode, muitas vezes, ser longo. Li relatos também de pessoas que esperaram mais de 3h em alto mar e retornaram sem sucesso.

Foi oferecido um casaco laranja bem resistente ao frio e ficamos aguardando o barco se posicionar. Até aí tudo tranquilo.

No barco

Muito vento e frio, mas escolhemos sentar na frente pra ter a melhor vista do mar e dos tubarões. Chegando no ponto que o guia teria maior chance de encontrá-los o comandante parou o barco e ficamos, em torno de, 40min aguardando eles darem o ar da graça. Um pedaço imenso de peixe congelado era jogado na água para atrair os tubarões.

Esta parte não foi nada agradável, o barco balançava muito e eu, que nunca enjoei em barco e acostumada a mergulhar, comecei a passar mal. Uma sensação muito ruim, por isso tome um remédio para enjoo antes de sair para o passeio! De todo jeito vale informar que eles oferecem um saquinho de vômito e pirulito! 😀

Mergulhando com os Tubarões Brancos da África do Sul

Nos candidatamos para estar no primeiro grupo junto de outros brasileiros. Nesse momento colocamos uma roupa neoprene de corpo inteiro, só ficaram os olhinhos e a boca de fora perfeito pra gritar e chorar. O grupo foi formado por até 8 pessoas e depois de todos vestidos, com as máscaras e devidamente alocados na gaiola.. a grade de ferro foi fechada.

                       

Ficamos na expectativa e quando um tubarão aparecia o guia gritava “Go, Go, Go!!” essa era a hora de baixar o corpo rápido para a água e encarar a chegada dele. Descemos umas 10 vezes, nas primeiras tentativas vimos eles de lado, no canto, embaixo e em uma das últimas tivemos o “presente” de ver um tubarão vindo na nossa direção, chegou a bater na grande, deu pra ver perfeitamente seus olhos fixos e a boca imensa. Grande e lindo! Nada assustador, pois a grade realmente passa segurança.

                        

Importante citar que o mergulho pode ser feito com ou sem o snorkel, pois é uma descida rápida e não precisa de equipamento ou experiência. No nosso dia todos foram apenas com a máscara.

Retorno

Depois do mergulho esperamos os outros grupos terem o “momento com os tubarões”. Era possível repetir, mas a vista de cima do barco também é muito bacana, observamos os tubarões se aproximarem da gaiola.. e a emoção é tão boa quanto estar lá embaixo.

Finalizando os grupos de mergulho e eu já azul, seguimos de volta por 30min até a margem sãos e salvos!

Chegando na agência foi oferecido um almoço enquanto as imagens do nosso passeio eram transmitidas nas televisões! O vídeo é oferecido para comprar no final. A agência possui dois banheiros com chuveiro, ótimo para quem precisa de um banho para seguir viagem!


 

Meta Cumprida!  Estar de frente com um dos animais mais temidos pelo homem foi indescritível, compensou todo enjoo, frio e espera! Se for para a África do Sul inclua esta experiência no seu roteiro!

🙂

Confira os posts no final do texto sobre a minha viagem linda de 30 dias pelo continente africano!


 

E para quem quiser saber mais sobre os tubarões brancos da África do Sul compartilho alguns mitos e verdades que encontrei no Site da Great White Shark Tours.

Os grandes tubarões brancos são os maiores peixes predadores do mundo, atingindo até 6 metros de comprimento e poderosos o suficiente para lançar seus corpos de até 2 toneladas fora da água.

Os tubarões não têm ossos. Tubarões pertencem à classe dos peixes com esqueletos compostos de cartilagem, não osso.

Os grandes tubarões brancos são todos parecidos. Tubarões individuais não só parecem muito diferentes, eles parecem ter personalidades diferentes também.

Como os tubarões podem ver na água turva? Ao contrário dos seres humanos os olhos dos tubarões são equipados com uma camada de cristais espelhados atrás da retina, permitindo que a luz seja detectada uma segunda vez. Tal adaptação permite que os tubarões possam ver, mesmo em baixa luz e escuro na água, até 10 vezes mais do que os seres humanos.

Tubarões comem baleias mortas: Sim, um tubarão branco se alimentará de uma baleia morta; No entanto, eles nunca foram observados atacar uma baleia saudável.

Por quanto tempo um tubarão pode sobreviver sem comida? Meses podem passar entre as refeições quando as colheitas são magras. Um tubarão grande pode comer até 10 toneladas de carne em um ano.

Os tubarões podem sorrir? Cães, macacos e golfinhos mostram expressões semelhantes aos sorrisos humanos. Mas em tubarões e outros peixes, as partes do cérebro relacionadas aos sentimentos são menos desenvolvidas. Tubarões sorrindo? Não é provável.

Os tubarões são de sangue quente! Tubarões brancos têm músculos que geram calor. A maioria dos outros peixes são de sangue frio.

Os tubarões podem se curar! Os grandes tubarões brancos podem curar suas feridas e têm uma tolerância incrivelmente forte às feridas e à doença. Um exemplo severo era um tubarão branco apelidado do “suporte” em Gansbaai que era quase rachado na metade por uma hélice do barco. Em 9 meses as feridas de Props foram completamente curadas.

Os tubarões se comunicam com a linguagem corporal. Os grandes tubarões brancos não produzem ruídos. Arqueamento do corpo, mandíbula aberta e outras posturas são táticas sociais específicas que usam para se comunicar.

Por que a pele de um tubarão se sente como lixa? Tubarões não têm escamas como outros peixes, em vez disso, sua pele é coberta com minúsculos pontos chamados “dentes da pele”. Em tempos antigos, os carpinteiros usavam folhas de pele de tubarão seca para lixar.

Tubarão ou humano – quem tem o cérebro maior? Comparado com um cérebro humano, o cérebro de um Grande Tubarão Branco é relativamente pequeno. No entanto, ele é capaz de processar informações complexas sobre seus ‘arredores.

Os tubarões têm um sexto sentido. Os seres humanos têm 5 sentidos, mas os tubarões têm um 6º eletro-sentido. Os sentidos elétricos viajam de um lado para o outro ao longo da medula espinhal dos tubarões, enviando sinais sensoriais para todas as partes do corpo.

Por Laiza
Gostou? Compartilhe!
2 Comentários
  1. Ludmila Em 01 jul 2018 - 09h58

    Olá, Laiza! parabéns pelo relato muito informativo… vc poderia dar mais detalhes do passeio com os tubarões brancos? começou às 7:00h em Gansbaai e terminou que horas? Que horas vc estava de volta na sede da agência? obrigada!

    • Laiza Em 05 jul 2018 - 23h25

      Oi Ludmila! obrigada! o tempo varia conforme a sorte e paciência do grupo em achar os tubarões, nós retornamos pra sede em torno de 14. Lembro que nesse dia conciliamos o passeio dos pinguins e fomos curtindo o caminho até chegar na cidade do cabo, se estiver de carro pode pensar em algo assim tb. bjs

Deixe seu comentário!