Inspirações
15 jul 2017

Viagens e Deficiência Física – Conheça Vanessa Hack

Viajar é para todos! Para que essa frase de efeito seja efetivamente real é preciso que os pontos turísticos ofereçam estrutura apropriada, segura e se adequem às normas de acessibilidade. Mesmo com os investimentos em obras de acessibilidade do Ministério do Turismo  Brasileiro, que soma mais de R$ 75 milhões nos últimos anos, ainda é preciso melhorar muito e cabe a todos nós, utilizando ou não, exigirmos dos órgãos responsáveis.

Seguindo um dos propósitos deste Blog, que é incentivar a transformação pessoal através de viagens, gostaria de compartilhar um pouco da história de uma amiga carioca chamada Vanessa Hack. A Vanessa descobriu aos 28 anos que possui uma doença chamada Charcot Marie Tooth (CMT) e é um exemplo a todos nós, pois mesmo com a deficiência física já viajou para 10 países, conhece vários destinos do Brasil e recentemente fez um intercâmbio para treinar o inglês em Dublin na Irlanda.

A CMT é uma doença sem cura e degenerativa e pode se manifestar de diversas maneiras. No caso da Vanessa, ocorre a perda sensitivo-motora que causa pé caído, falta de equilíbrio e consequentemente mobilidade reduzida. Ela usa órteses para evitar quedas e minimizar essas manifestações. Como não resolve 100%, acaba tendo dificuldades em ficar em filas sem apoio, passar muito tempo em pé e caminhar em chão muito irregular ou escorregadio.

Seguem algumas perguntas que ela respondeu pra gente:

Janela Azul: Algum momento da sua vida a deficiência impediu a realização de um sonho?

VH: Em um determinado momento eu pensei que não poderia mais avançar na carreira por conta dessa doença. A superação aconteceu na “marra”. Recebi um convite para ser gerente de uma equipe e era pegar ou largar. E eu peguei. Foi quando busquei a ajuda das órteses, até então andava com muita dificuldade com a ajuda de uma bengala.

Janela Azul: Você encontra dificuldades para viajar?

VH: Sim. Tenho dificuldades no raio x, quando tenho que tirar o sapato, nas longas filas da imigração, na volta, com as malas pesadas, sinto meus pés muito gelados em países frios e não tenho agilidade para conhecer muitos lugares de uma só vez. Então, minhas viagens são planejadas para que não precise visitar nenhuma atração correndo.

Janela Azul: Os Sites de viagem oferecem informações importantes para pessoas com deficiência física?

VH: Nunca consegui informações para deficientes em sites de viagem. Tem um site conhecido de uma moça que frequenta Orlando há mais de 20 anos. Em 2013 quando perguntei sobre deficientes, ela não soube me responder. Depois confesso que nunca mais procurei. Fui descobrindo as coisas nas viagens, perguntando.

“Nós só percebemos as dificuldades de um deficiente quando nos tornamos um ou convivemos com um.”

Janela Azul: Qual foi a sua viagem inesquecível? E qual a próxima que está no seus planos?

VH: Dubai. Foi uma viagem que eu nunca pensei em fazer, fui para acompanhar um amigo, pois era o sonho dele e me surpreendeu demais. A próxima estou entre a Índia e Portugal, a Índia pela matéria que li recentemente sobre cura Ayurvédica, mas queria mesmo ir pra Portugal conhecer algumas cidades e escolher em qual vou morar quando sair do Brasil.

Janela Azul: O que você diria para pessoas com deficiências semelhantes e que acabam não viajando por receio e/ou dificuldade?

VH: Minha doença ainda é considerada leve e eu conseguiria viajar sozinha com algumas dificuldades. Mas ter uma pessoa que te dê apoio, ajuda muito. Caso não tenha essa companhia, procure destinos que possuem mais acessibilidade e enfrente seus medos.

Para quem quiser conhecer um pouco mais sobre a Charcot Marie Tooth acesse o Site da ABCMT.

Vanessa criou o De repente Deficiente , um espaço para falar sobre direitos, reflexões e acontecimentos do dia a dia. Vale conferir e acompanhar os textos inteligentes e sinceros.


Dicas aos viajantes portadores de Deficiência Física:

-> Transporte Aéreo: A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil)  determina que as companhias aéreas ofereçam serviços de acompanhante, embarque prioritário, desconto a acompanhantes, gratuidade ao despachar objetos utilizados para a locomoção e cão guia, entre outros. A empresa aérea é responsável por prestar assistência desde o check-in até o acesso à área pública, após o desembarque. Confira os detalhes de cada regra no Site da ANAC – Acessibilidade.

-> Transporte Terrestre: Pessoas com deficiência, comprovadamente carentes, têm direito à gratuidade em dois assentos em cada veículo do serviço convencional de transporte interestadual de passageiros.  Saiba mais através do Site da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestre).

-> Acessibilidade em pontos turísticos: O Guia Turismo Acessível é um site colaborativo em parceria com o Ministério do Turismo. É possível avaliar e consultar a acessibilidade de pontos turísticos, hotéis, restaurantes, parques e atrações diversas. Importante avaliarmos os locais e contribuirmos para a pesquisa de todos os viajantes.

-> Através da Vanessa conheci o projeto Turismo Adaptado que oferece informações e serviços como agenciamento de viagens e roteiros direcionados a pessoas com deficiência. Fica a dica para comparar.

-> Me encantei pelo site Deficiente Ciente, muitas informações úteis e interessantes.

-> Acesse também a norma brasileira ABNT NBR 9050 que estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados quando do projeto, construção, instalação e adaptação de edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos às condições de acessibilidade.

Conhece mais algum site útil? Comente e compartilhe conosco!


É muito bom poder contar aqui histórias que inspiram como a da Vanessa. Muitas pessoas, com ou sem deficiência física, se limitam a realizar sonhos por falta de informação, por medo ou insegurança do que irá encontrar, sendo que esta é a melhor parte da viagem.  Importante pesquisar os destinos e a acessibilidade dos pontos turísticos que serão visitados, além de sempre sugerir melhorias e denunciar descumprimentos.

A viagem inspira, motiva, eleva a auto estima e pode ser uma boa ferramenta de incentivo a pessoas portadoras de qualquer tipo de deficiência. Os sonhos não podem parar!

Vanessa, obrigada pela amizade e por me permitir estar ao seu lado nessa jornada.. meu ombro, minhas mãos, pés e meu coração estarão sempre a tua disposição. Acredito que não há deficiência nos pés que impeça alguém, como você, de realizar o que quiser.

Aproveito este post pra te fazer um convite… Você aceita ser minha madrinha de casamento? 

Aguardo a resposta! 🙂

Por Laiza
Gostou? Compartilhe!
1 Comentário
  1. Vanessa Hack Em 16 jul 2017 - 12h10

    Siiimmmm ❤️😻

Deixe seu comentário!